Search

Cultura Maker



Fazer o aluno pôr a mão na massa o coloca na posição de protagonista da sua própria evolução intelectual, e esse é o principal objetivo da Cultura Maker. Esse movimento torna a escola um ambiente colaborativo de aprendizagem, ou seja, interação constante entre alunos e professores.


Os benefícios da cultura maker


Agora que você já sabe do que se trata esse movimento, vamos elencar alguns dos benefícios para o desenvolvimento dos alunos:


Como aplicar a cultura maker na escola

Os recursos necessários variam de acordo com a faixa etária dos alunos.


Para os mais novos, materiais como tesouras sem ponta, EVA, cartolina, cola fria, papelão, potes, fita adesiva, isopor, assim como dispositivos eletrônicos adaptados à sua idade. Já os mais velhos podem trabalhar com madeira, cola quente, chave de fenda, fios, vidro, computadores, estilete, ferro, pregos, parafusos e martelos.


É importante ressaltar que o espaço maker não serve apenas para a realização de atividades práticas, mas é um ambiente com condições do aluno aprender. Por isso, é preciso que os professores insiram em seus planejamentos situações que exijam dos alunos a resolução de problemas, tendo eles que criar, alterar, substituir ou consertar algo.


Na Cultura Maker, os jovens vão enxergar a importância do erro e como errar nos faz crescer, aprender e evoluir. É fundamental apoiar os erros dos alunos e fazê-los entender que errar também faz parte do processo.


Assine nossa newsletter para receber mais conteúdos relevantes!

Não perca nenhuma novidade!

Assine nossa newsletter para ficar por dentro dos lançamentos do Geppetto.

Inscrição realizada com sucesso!